domingo, 11 de setembro de 2011

10, 66...

Haverá um pai para perdoar a quem o tenha ofendido?
E um pai que o perdoe as ofensas?
10
66
Quantos anos depois?

8 comentários:

Mirian Martin disse...

Na verdade, "(...) perdoai as nossas ofensas,"assim como" perdoamos a quem nos tem ofendido". Portanto, pedimos sempre a nossa própria condenação quando rezamos o "Pai nosso".

bjs

Si, Fosse Algo seria o Nada disse...

Até tu, Brutus??

Anônimo disse...

Mirian, o pressuposto da oração católica “pai nosso” é hipócrita. O crente exige perdão porque afirma ser ele próprio um indulgente. Pior até, quando é auto-indulgente.
Obrigado pela visita...
Bjs...

Sérgio Luyz Rocha

Anônimo disse...

Simone, não resisti...

Bjs...

Sérgio...

Anônimo disse...

Vc. continua sendo o meu escritor preferido, com uma sensibilidade incrível.
Onde nascem as almas, é maravilhoso
Bjs!

Si, Fosse Algo seria o Nada disse...

Ok! Perdoo...mas só dessa vez.

Bjs

Vanuza Pantaleão disse...

Cara, eu sou meio zen, meio orientalista. Quer saber, eu acredito em karma. Nada acontece por acaso, os antigos magos e sábios já sabiam disso. Tem mais, não há só um pai, não há apenas uma mãe. Longa história, Serginho, longa história, rs.
Apareça, menino! Até parece que tomou aquele chazinho de sumiço...eu guento?
Boa semana, migo!
Beijossssss

elvira carvalho disse...

Muitos anos ainda Sérgio. Todos os anos se fazem reportagens, e reportagens e curtas metragens e não sei que mais. No mundo de loucos em que vivemos, um dia destes um qualquer maluco com ânsias de ser famoso ainda se lembra de criar outra tragédia.
Um abraço e uma boa semana

Twittando

    follow me on Twitter