sexta-feira, 18 de junho de 2010

Saramago

“[...] não sei como perceberão as crianças de agora, mas, naquelas épocas remotas, para as infâncias que fomos, o tempo aparecia-nos como feito de uma espécie particular de horas, todas lentas, arrastadas, intermináveis. Tiveram de passar alguns anos para que começássemos a compreender, já sem remédio, que cada uma tinha apenas sessenta minutos, e, mais tarde ainda, teríamos a certeza de que todos estes, sem exceção, acabavam ao fim de sessenta segundos [...]”.
As pequenas memórias (p. 59)


Saramago é um dos maiores escritores de todos os tempos e de qualquer língua. Sua pátria, sua militância, sua vida são os livros que escreveu e os escreveria com a mesma genialidade fosse o seu idioma qualquer outro. Falaria de outras realidades e, muito provavelmente, de outros recantos, mas o faria com a mesma intensidade. Sua pátria escrita é um sem tempo de humanidade.

4 comentários:

Alis disse...

Olá Sérgio,

…” todas lentas, arrastadas, intermináveis. …”

… apenas 60 minutos… não dá nem para contar 60 segundos .. só mesmo memórias e estrelas de vidro… e só ás vezes….

de cristal puro…

beijinhos

Alis disse...

Beijinhos
f@

VANUZA PANTALEÃO disse...

Saudade de Saramago...
Nunca mais haverá outro...

Madre Del'Alma disse...

Sabe o que mais me orgulho nessa vida...?
É ter a oportunidade de conhecer, mesmo que, só através das letras, pérolas como ele...Ah! Santo Portugal...Nos dá essas dádivas, que não só, nos emocionam com suas palavras, como também nos motivam com sua ousadia.
É doce poder reler e relembrar sempre Saramago.
Abraços
Namastê! ;)

Twittando

    follow me on Twitter